domingo, 13 de julho de 2008

*** KIRON E A DISSONÂNCIA DA CATÁSTROFE ORIGINAL ***


A ferida de Kiron é um pedaço de pão amargo que assumimos ao encarnar. Quando Kiron está junto à cauda do dragão, significa que há muitas vidas transportamos essa ferida.
É nesse aspecto astrológico que nos transformamos em Curadores.
Por mais que eu me individue, essa realização contribui sempre para a realização comum da Humanidade.
Onde eu tenho Kiron, é onde eu recebo a dissonância vinda da catástrofe original. Ela atinge-nos em cheio, a partir do inconsciente.
A primeira coisa a fazer é CONSCIENCIALIZAR o sofrimento que “parece pessoal”, mas é a ressonância duma catástrofe psicológica colectiva, que se instala nos nossos chacras.
As dores “individuais” também têm a ver com ela. A nossa dor também é a dôr do Cristo, porque ele também foi expulso connosco.
Pode ser dôr, ou saudade, ou vazio, ou necessidade, ou incómodo, «área dificil da vida», etc, uma angústia.
Como não se pode fazer o caminho de retorno, é necessário curar alguém com o mesmo Kiron. Daí vem o Serviço.
Os sonhos, a arte, os trabalhos de introspecção podem ajudar, mas não conseguem chegar aos outros.
Onde temos Kiron somos curadores fortes dos outros. Ao fazer esse trabalho, fazemos vibrar a Árvore da Vida, e por ressonância dela recebemos a cura em nós mesmos.




KIRON EM CARNEIRO
Dá a sensação do herói ferido, aquele que perdeu o contacto com a sua causa.
Há muito dinamismo presente, mas não há onde o aplicar.
De que serve uma energia heróica se não há onde a aplicar, nem existe poder para iniciar a busca (o movimento, a libertação da imobilidade)?
É uma ferida na Vontade de fazer a busca.
Usa-se o “outro” como espelho, para dizer o que precisamos de ouvir.
Quando se vibra o nosso Kiron, estamos mesmo a curar o outro.
Kíron vem do fundo , atravessa toda a dissonância e alivia a zona distorcida, curando o outro.
Essa descompressão cura-nos retrogradamente a NÓS MESMOS.
Kíron em Carneiro dá portanto: o heroísmo perdido e cria a sensibilidade aguda ao herói dos outros.




KIRON EM TOURO
Dá a sensação do corpo perdido, da vitalidade perdida. É o atleta quebrado. A animus física perdida.
A sensualidade está ferida.
Há a nostalgia dum envolvimento seguro, o corpo roubado, ferido, traído, ou traído pelo corpo.
O curador ajuda os outros a assumir a sensualidade e a beleza do corpo. Kiron em Touro pode dar massagistas belíssimos.



KIRON EM GÉMEOS
A nostalgia da palavra perdida.
A perda da expressão expontânea.
A perda da verbalização.



KIRON EM CANCER
A ferida é a nostalgia da Mãe Divina.
Os seres sentem-se órfãos do poder protector e nutriente da Mãe Divina. Cria uma apetência para exagerar no papel da mãe, uma falta de amor.



KIRON EM LEÃO
Significa a identidade perdida.
Há uma quebra entre a psique colectiva e o eixo crístico.
A consciência de si, o direito a si, “um lugar ao sol” está travado, em vazio.
Por mais autor e criativo que um ser seja, continua a sentir esse vazio.
Planetas em trígono a Kiron, dão enorme poder de cura.
Kiron em Leão é como um espelho partido: eu só vejo fragmentos de mim.



KIRON EM VIRGEM
A ferida de Virgem é a disfuncionalidade geral. Estes seres desconfiam profundamente do corpo, há uma saúde perdida (a vibração magnética do ouro), pois a impecabilidade e a saúde do corpo é regida por Virgem.



KIRON EM BALANÇA
A ferida é a nostalgia do amor-perfeito, do casal perfeito.
A nostalgia e o sofrimento pela ânsia da alma gémea.



KIRON EM ESCORPIÃO
Aqui existem 2 feridas.
1º – Uma ferida ao nível dos Poderes Ocultos.
Escorpião é Poder psíquico, poder de exorcisar pessoas. A ferida inibe o Poder Psíquico para ver além do véu, e a pessoa sente-se exposta. Sente-se invadida por forças do inconsciente colectivo.
2º – Uma ferida ao nível da Sexualidade.
Dá uma incapacidade para controlar a líbido, controlar as correntes subterrâneas, ocultas, o irracional e a membrana que devia equilibrar-nos, versus a onda do inconsciente colectivo.
A experiência sexual, parece terminar sempre numa experiência de sofrimento.
Há uma dôr no plano da sexualidade.



KIRON EM SAGITÁRIO
A ferida é a nostalgia da Voz Superior, a dôr por não ouvir essa Voz. Os Seres sentem que o seu antakarana* (ligação com a Alma) está desfeito e que há quebra do alinhamento. Sentem um desalinhamento permanente com o alto.
A presença deste Kiron ajuda a alinhar os outros seres.



KIRON EM CAPRICÓRNIO
É a dôr da ausência da Cidade Sagrada.
Há um mal estar pela crise de autoridade institucionalizada. É o vazio, ao olhar para uma sociedade e verificar a distância que existe entre a autoridade e o vínculo sagrado.



KIRON EM AQUÁRIO
A ferida é a dôr do conhecimento cósmico perdido, a Alquimia, a Geomância, etc.
É a dôr pela Ciência perdida. Dôr pela perda da época em que os homens eram livres pelas asas do conhecimento.
Em Kíron somos canais de dissonância colectiva
Canalizamos o mal-estar de toda a gente.
Há uma dôr pela fragmentação da humanidade, uma nostalgia da Fraternidade perdida, da união entre os Povos.
Há também nostalgia pelo Alfa Adam Kadmon final, a Síntese do Homem.
Kiron em Aquário sente dôr pelo egoismo colectivo.
Estar em contacto com a Ciência perdida é balsâmico para Kiron em Aquário.



KIRON EM PEIXES
Kiron em Peixes é a dôr da dôr. É a nostalgia do próprio Paraíso, que abarca todas as outras dores.
O que Kiron sente aqui é que “estamos fóra do Eixo Crístico Original”.
A ferida é sentir dôr da dissonância geral.
Há um alívio dentro destes seres quando ajudam alguém a dar um passo na direcção do Paraíso.



KIRON PODE SER CURADO?
Pode, mas é preciso ir muito, muito fundo.



*Fonte: Os Melquizedek "O Círculo Ra Ptaah"
Enviado pela Terapeuta Marilena Rodrigues.


Fique na "Luz Divina"

Um comentário:

JAI PANDORA BABY MATAJI disse...

OLÁ,ALMA LUZ!
HOJE QUE ESTOU CONHECENDO TEU BLOG,SOU MESMO MUITO DISTRAÍDA.
QUE DELÍCIA CONHECER UM POUCO MAIS DE TI.
PLENA PAZ!